Notícia

Acompanhe ao vivo o mercado financeiro, Bolsas pelo mundo, dólar, indicadores e empresas

Dólar cai para R$ 5,28 após alta na Selic; Bolsa sobe 0,3%

O dólar caiu 1,60%, a R$ 5,2780, nesta quinta-feira (6), menor valor desde janeiro deste ano. A queda é efeito da alta na taxa básica de juros, que foi a 3,5% ao ano na véspera. O Banco Central também sinalizou uma Selic de 4,25% em junho.

Na visão do mercado, após a decisão e o comunicado do BC, a Selic deve agora subir mais rápida ou agressivamente.

Juros mais altos fortalecem o real por meio do carry trade, prática de investimento em que o ganho está na diferença do câmbio e do juros. Nela, o investidor toma dinheiro a uma taxa de juros menor em um país, no caso, os Estados Unidos, para aplicá-lo em outro, com outra moeda, onde o juro é maior, como o Brasil.

Já o Ibovespa fechou em leve alta de 0,29%, a 119.920,61 pontos, puxado pela valorização de 3,92% da Vale, com alta nos preços do minério de ferro. O contrato da matéria-prima para setembro na Bolsa de Dalian subiu 6,8%, para 1.184 iuanes (US$ 182,77) por tonelada.

Destaque para Ambev, que disparou 8,5% após reportar lucro líquido de R$ 2,73 bilhões no primeiro trimestre, mais do que dobro do verificado um ano antes. A empresa foi beneficiada pela redução de medidas de restrição adotadas por causa da pandemia de Covid-19.

A fabricante de bebidas afirmou que a meta agora é recuperar margens, mas para 2021, espera que a pressão sobre elas permaneça, embora estime que o desempenho melhor do que o esperado da receita deve continuar impulsionando a recuperação da empresa e ajudar a compensar parcialmente as pressões sobre o custo.

Já o GPA (Grupo Pão de Açúcar) afundou 9% mesmo após lucro líquido de R$ 127 milhões no primeiro trimestre, ante prejuízo de R$ 119 milhões um ano antes. A varejista também disse que vai vender alimentos em marketplaces. Analistas do Safra chamaram a atenção para um cenário ainda difícil no segundo trimestre por causa da Covid-19, bem como veem risco ligado à monetização pelo GPA da fatia na Cnova.

A Ultrapar caiu 6,8% também impactada após balanço do primeiro trimestre, com queda de 18,7% no lucro, que somou R$ 137,4 milhões. Em teleconferência, o presidente do conglomerado industrial, que inclui a rede de postos de Ipiranga e a distribuidora de gás Ultragaz,Frederico Curado, afirmou ainda que a Ultrapar está avaliando entrar no mercado de gás natural no Brasil, em meio ao processo de quebra do monopólio da Petrobras.

A Sabesp ganhou 4,92%, após a companhia de saneamento básico do Estado de São Paulo decidir não exercer a opção de compra de fatia na Sociedade de Propósito Específico (SPE) da Iguá que venceu a disputa pelo bloco 2 da empresa de saneamento fluminense Cedae, semana passada.

Eletrobras avançou 4,08%, após comentários do secretário da Desestatização do Ministério da Economia, de que o governo espera concluir a privatização da elétrica até janeiro de 2022, com expectativa de que a medida provisória que abre espaço para a operação possa ser votada na Câmara dos Deputados na semana do dia 17 deste mês.

Wall Street fechou com o Dow Jones em máxima recorde, sustentado por otimismo vindo de dados semanais de pedidos de auxílio-desemprego, que ainda beneficiou o S&P 500.

(Com Reuters)

No começo de 2022, o Copom fará, na visão da gestora, um ajuste marginal de 0,25 ponto, elevando a Selic a 6,50%, patamar no qual encerrará o ano.

Para o economista, o BC está preparando o terreno, via comunicação, para sinalizar ao mercado que precisará fazer uma normalização monetária total.

No comunicado da véspera, o colegiado do BC disse ser apropriada uma “normalização parcial da taxa de juros”, mas ponderou que “não há compromisso com essa posição e que os passos futuros da política monetária poderão ser ajustados para assegurar o cumprimento da meta de inflação”.

“Acho que na próxima reunião ou na de agosto ele retira essa menção de normalização parcial”, afirmou o economista, que vê a estratégia do Copom de fazer um ajuste mais rápido como correta em um primeiro momento.
“Mas não acredito que ela será tão efetiva assim sobre as expectativas de inflação, que mesmo em ritmo mais lento agora vão continuar subindo”, disse.

Leal avalia que, embora temporária, a inflação está relacionada a interrupções causadas pela pandemia e, portanto, pode perdurar.

“Há uma pressão das commodities, que aumenta preços de insumos, movimento repassado para o varejo. E o câmbio ainda está desvalorizado. São pressões que vão continuar.”

Sobre a taxa cambial, o economista vê a indicação do Copom dada na véspera como um ponto de suporte ao real, mas mantém estimativa de dólar a R$ 5,40 ao fim de 2021 e 2022.

“O fiscal ainda pesa muito, e chegando ao fim do ano teremos mais ruído político.”

(Reuters)

Leia mais em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mercado/2021/05/03/5980-acompanhe-ao-vivo-o-mercado-financeiro-bolsas-pelo-mundo-dolar-indicadores-e-empresas.shtml